Como Iniciou a Profissão de Barbeiro?

Barbeiro-cirurgião era uma das profissões mais comuns na área médica durante a Idade Média, que eram geralmente incumbidos do tratamento de soldados durante ou após batalhas. Nesta época, cirurgias em geral não eram realizadas por médicos, mas por barbeiros, que também faziam pequenas cirurgias nos ferimentos dos camponeses e sangrias. Comumente, os babeiros-cirurgiões fixavam residência próxima a castelos, onde também forneciam serviços para os abastados.

O reconhecimento formal das habilidades do barbeiro-cirurgião (na Inglaterra, pelo menos) data de 1540, quando a Sociedade dos Cirurgiões se fundiu à Companhia dos Barbeiros para formar a Companhia dos Barbeiros-Cirurgiões. Note-se que, à época, tais profissionais não eram reconhecidos como médicos. Assim, sob pressão crescente da classe médica, em 1745 os cirurgiões se separaram dos barbeiros para formar a Companhia dos Cirurgiões. Em 1800, por intermédio de um Decreto Real, foi criada a Escola Real de Cirurgiões da Inglaterra.

O último vestígio da tradição de barbeiros-cirurgiões com atuação médica é, provavelmente, o tradicional cilindro de barbeiro, que sinalizava o local de atuação desses profissionais. As cores do cilindro, costumeiramente em listras de branco e vermelho, representam respectivamente os curativos e o sangue próprios da profissão.

No Brasil dos séculos XVI e XVII os barbeiros-cirurgiões, eram portugueses e espanhóis, cristãos-novos e meio-cristãos-novos que praticavam pequenas cirurgias, além de sangrar, sarjar, lancetar, aplicar bichas e ventosas e arrancar dentes, além de cortar o cabelo e a barba. Negros e mestiços também começaram a atuar a partir da metade do século XVII e enquanto os barbeiros escravos trabalhavam para os seus senhores, os livres amealhavam para sí mesmo os rendimentos de suas atividades e muitas vezes mantinham em treinamento escravos. Dentre seus instrumentos constavam navalha, pente, tesoura, lanceta, ventosa, sabão, pedra de amolar, bacia de cobre, escalpelo, boticão, escarificador, turquês e sanguessuga (Hirudo medicinalis). Os mais humildes praticavam suas atividades na própria rua, enquanto os mais preparados tinham suas lojas nas ruas principais. As atividades dos barbeiros-cirurgiões, no Brasil, perdurou até o século XIX.

Em Portugal, na segunda metade do século XX ainda havia barbeiros cirurgiões nas aldeias, que além de apararem cabelo e barba também extraíam dentes e tratavam abcessos.

curso de barber shop

 

Tony Lima, é especialista em cursos livres, cabeleireiro e barbeiro profissional, começou a dar aulas em 2004 formando seus próprios colaboradores! Criador do curso para instrutor 2.0, já ajudou mais de 5 mil profissionais a criar uma nova fonte de renda! O nível de satisfação do curso é classificado com 5 estrelas pela plataforma Hotmart. O curso para instrutor 2.0 está embasado de acordo com o Decreto Presidencial número 5,124 de 24 de maio de 2004. Atualmente Tony Lima, dedica 100% do seu tempo, as atualizações do curso, e ao suporte aos seus alunos. Muito obrigado pela visita e nós veremos na sala de aula, abraços e até breve 🤝